Varizes

Conheça os principais tratamentos para varizes

A Insuficiência Venosa Crônica e as Varizes dos Membros Inferiores são problemas que acometem um grande número de mulheres, causando sensação de desconforto, cansaço e peso nas pernas, além de um prejuízo estético que pode levar à baixa autoestima. As varizes provocam um edema do tornozelo e alterações de pele. Quando não tratadas, os sintomas podem piorar e evoluir para casos mais graves, como ulcerações.

Na Clínica EndovascularSP, os médicos especialistas trabalham com os mais modernos, seguros e eficientes procedimentos e técnicas para o tratamento dos quadros de Insuficiência Venosa Crônica e as Varizes dos Membros Inferiores. Saiba mais sobre os tratamentos:

As varizes afetam de 10-30% dos adultos. O problema é caracterizado por veias dilatadas, tortuosas e azuladas que aparecem próximas à pele, principalmente nas pernas. Devido a insuficiências das válvulas, as veias retém mais sangue a uma pressão mais alta. Isto leva a um acúmulo de líquidos nos tecidos próximos gerando inchaços (edema) e sensação de peso.

Antiestéticas e desconfortáveis, as varizes levam a um edema do tornozelo e alterações de pele.

As veias dos membros inferiores têm a função de levar o sangue de volta ao coração. Durante a contração dos músculos da panturrilha (caminhada) as veias são comprimidas, forçando o sangue a retornar ao coração. Para evitar que o sangue circule no caminho errado, as veias apresentam numerosas válvulas. Se essas válvulas falham (refluxo) o sangue reflui para as veias superficiais e para a panturrilha. Isto resulta no ingurgitamento das veias que se tornam varicosas.

As veias com válvulas insuficientes (ex: Safena interna) devem ser tratadas para evitar o refluxo de sangue para as panturrilhas. Também podem ser decorrentes de obstrução venosa ou insuficiência de veias profundas e perfurantes. Outra causa é a sequela de trombose venosa. No entanto, na maioria das vezes é idiopática.

Fatores de risco são: tabagismo, obesidade, sedentarismo e história familiar.

A gravidade é a principal culpada. A distância dos pés ao coração é o maior caminho pelo qual o sangue circula no corpo. As veias desse trajeto lidam com altas pressões e, caso as válvulas não suportem esta pressão, o sangue não segue o caminho natural até o coração, ficando retido nas veias das pernas.

Os principais fatores são genéticos, obesidade, gravidez, alterações hormonais, postura no trabalho e em alguns hobbies. Após os 50 anos, cerca de 50% das mulheres têm doença de varizes.

A maioria dos pacientes apresenta dor e sensação de peso ao final do dia. Alguns também apresentam edema importante, seguido de alterações de pele. Inflamações e flebites causam muito desconforto, e nos casos com insuficiência venosa grave, ulcerações podem ocorrer.

Após o exame físico detalhado, o principal método diagnóstico é por Ultrassom com doppler. O exame é realizado como rotina em pacientes com varizes, a fim de apontar as causas do refluxo ou obstrução venosa.

Exercícios, uso de meia elástica, elevação dos membros e repouso garantem uma melhora do problema e alívio dos sintomas. Os medicamentos disponíveis no mercado também promovem uma melhora discreta dos sintomas, mas nenhuma destas técnicas faz as varizes desaparecerem.

O uso regular de meia elástica é a única medida clínica capaz de controlar a evolução da doença em alguns casos. Em pessoas com obesidade, a perda de peso é fundamental para o sucesso do tratamento.

Em locais de inflamação ou infecção, antibióticos e pomadas são necessárias. E em casos de feridas, repouso absoluto e curativos especiais são utilizados. Após o estudo com ultrassom, o tratamento cirúrgico deve ser discutido com o médico.

O tratamento estético das varizes é realizado em veias de pequeno calibre 1-2 mm, chamadas de telangiectasias. Essas pequenas veias causam alterações na pele e raramente são causa de dor localizada. Os melhores métodos de tratamento são a Escleroterapia e a aplicação de LASER.

A escleroterapia consiste na injeção de Glicose ou outros agentes esclerosantes, que visam esclerosar esse pequenos vasos. São utilizadas agulhas bem finas para diminuir a dor durante o procedimento.

O LASER dérmico tem a mesma função, isto é, esclerosar esses vasos. Não necessita de aplicação de substâncias.

Cada técnica tem suas vantagens e, na maioria das vezes, as técnicas são complementares. Cada caso deve ser discutido com o médico especializado nas duas técnicas.

Varizes de grosso e médio calibre são tratadas com cirurgia. O procedimento para retirada das varizes é realizado com minúsculas incisões que visam a cicatrização da pele sem nenhum ponto e com mínima cicatriz residual.

As cirurgias são feitas em ambulatório ou hospital, com anestesia local, geral ou bloqueio espinhal. Nos casos de insuficiência de safenas, o tipo de tratamento depende do quadro clínico, da gravidade e da causa da insuficiência venosa.

Técnica minimamente invasiva, com uso de cateteres para ablação da veia safena. Pode ser realizada com anestesia local ou raqui-anestesia. Promove o fechamento da safena sem precisar da fleboextração (stripping). Como resultado, apresenta menos hematoma, menos dor no pós-operatório e uma recuperação mais rápida, que acontece em cerca de 3-7 dias. O tratamento estético com micro-incisões pode ser realizado de forma concomitante.

Fale com a Clínica Endovascular SP!