Artigos

Varizes Pélvicas: 5 Cuidados ao Tratar Varizes Pélvicas

Varizes Pélvicas: 5 Cuidados ao Tratar Varizes Pélvicas

Conheça os melhores tratamentos e os cuidados essenciais para uma boa recuperação.

Os tratamentos para varizes pélvicas têm se mostrado cada vez mais eficazes, mas é necessário tomar alguns cuidados após os procedimentos. Conheça os melhores tratamentos e 5 cuidados essenciais para uma boa recuperação.

Varizes Pélvicas ou Varizes nas Pernas?

Muitas pessoas sofrem com varizes nas pernas, mas saiba que esse tipo de problema, caracterizado pelos vasos dilatados, alongados, tortuosos e superficiais à pele, capazes de serem vistas a olho nu, também podem surgir na região da pelve, sendo chamadas de varizes pélvicas.

O que são varizes pélvicas?

As varizes pélvicas são uma doença em que há veias dilatadas e tortas próximo ao útero, aos ovários ou às trompas, ou seja, na região da pelve. O que ocorre é que essa dilatação das veias ocasiona em um mau funcionamento das válvulas e impede que o sangue flua naturalmente por elas e se acumule na região.

Apesar de ser bem mais comum em mulheres, essa doença também pode acometer homens, em que essas veias dilatadas surgem nos testículos e a doença ganha outro nome, sendo mais conhecida como varicocele.

Varizes Pélvicas: Sintomas

Assim como as varizes nas pernas, as varizes pélvicas também causam sensação de queimação e possuem os vasos dilatados visíveis, mas aqui, elas surgem na região próxima aos órgão sexuais ou glúteos. Além desses, são sintomas comuns as dores na região pélvica, no abdômen – geralmente durante ou logo antes do ciclo menstrual – e durante ou após as relações sexuais. Pacientes se queixam de sensação de peso na região abdominal, e às vezes menstruação intensa e incontinência urinária. Esses últimos nos casos mais graves da doença.

Mesmo com todos esses sintomas, não é simples diagnosticar essa doença, pois pode ser confundida com outras doenças no abdômen da mulher. Para descobrir se se trata de varizes pélvicas, exames específicos são essenciais, além de um especialista, que, com o diagnóstico em mãos, pode indicar o melhor tratamento, que pode ser simples, como medicamentos, ou que necessitem de intervenção, seja cirúrgica, seja endovascular.

O importante é que, após o procedimento, é necessário seguir alguns cuidados essenciais para auxiliar no tratamento. Entenda melhor sobre essa doença, seu tratamento e as dicas após o procedimento.

Varizes Pélvicas: Causas

A causa das varizes pélvicas não são claras, mas estão bastante associadas a fatores genéticos, à gravidez e à idade. É comum em casos em que alguém da família, como mãe e irmãs da paciente, tenha apresentado esse tipo de doença que ela também tenha chances de ser diagnosticada com o mesmo problema. Quanto à gravidez, há chances de que as varizes pélvicas surjam após a gestação, pois é um período em que as veias dilatam e pode haver problemas para retornarem ao normal. Entretanto, é de se destacar que não há impeditivos para a mulher que tenha varizes pélvicas de engravidar, o único problema é que os sintomas podem surgir ou se tornarem mais acentuados.

Apesar de não ser uma doença considerada grave e de comumente ser assintomática, ou seja, que não apresenta sintomas, quando há os sintomas – casos que são conhecidos como Síndrome da Congestão Pélvica – eles geralmente são sensação de peso na região pélvica, dores no abdômen e durante ou após a relação sexual, varizes aparentes na vagina, glúteos e coxas, dificuldade para conter a urina e aumento do fluxo menstrual durante o ciclo. É comum um alívio dos sintomas quando a mulher senta ou deita, pois o sangue percorre mais facilmente o caminho para o coração.

Como nem toda mulher apresenta algum desses sintomas, é importante manter uma rotina de exames para verificar a saúde dos órgãos pélvicos. Para detectar as varizes pélvicas, um exame de ultrassom ou uma tomografia da região são eficientes e podem dar o diagnóstico que será base para um tratamento adequado.

As varizes pélvicas podem ser decorrentes de outras patologias como a Síndrome de Cockett ou a Síndrome de Nutcracker, por isso a avaliação de um especialista é tão importante.

 call to action varizes pelvicas

Melhores tratamentos para varizes pélvicas

O tratamento para as varizes pélvicas possui três vertentes mais fortes que estão relacionadas à intensidade dos sintomas e à progressão das varizes nos órgãos da região pélvica, e são elas medicamentos, técnica endovascular e cirurgia.

Logo que são sentidos os primeiros sinais de que há varizes pélvicas e após a confirmação do diagnóstico por meio de exames, geralmente começa-se o tratamento por meio de remédios orais à base de hormônios. Alguns ginecologistas indicam a progesterona, que age diretamente na produção ovular da mulher, diminuindo a ovulação e, consequentemente, o sangue fluindo pelas veias da região pélvica.

Na maior parte dos casos sintomáticos, nós já indicamos a técnica endovascular, pois a chance de recidiva apenas com os medicamentos é muito alta. Em pacientes que não desejam a gestação ou já tem prole definida, uma opção é a histerectomia. Muitos ginecologistas têm indicado essa abordagem mais agressiva, que acaba tendo um tempo de recuperação maior. No passado a ressecção cirúrgica das varizes era realizada, mas hoje é uma técnica em desuso por ser muito invasiva.

A técnica endovascular é um método mais moderno e rápido, que pode ser realizado apenas com anestesia local e sem internação. Nesse tratamento, é feita uma pequena incisão, por onde entra um cateter até a veia doente, e então são colocadas pequenas molas nas veias dilatadas, corrigindo o fluxo sanguíneo.

marque sua consulta

Principais cuidados a serem tomados durante e após os tratamento de varizes pélvicas:

Independentemente do tratamento indicado ao seu caso, algumas medidas precisam ser tomadas após a realização de um tratamento:

1. Realizar exercícios:

Manter uma rotina de atividades físicas, mesmo que leves, como caminhada ou hidroginástica, auxiliam no fluxo sanguíneo a retornar ao coração.

2. Manter os Pés em altura mais elevada que o resto do corpo:

Quando deitada, procure deixar os pés em uma almofada pode ajudar também no retorno do sangue ao coração.

3. Evitar ficar muito tempo sentada ou em pé:

Ficar muito tempo em uma mesma posição em pé ou sentada pode atrapalhar o sangue a subir para o coração, dilatando veias.

4. Usar meias de compressão:

Utilize meias específicas para casos de varizes auxiliam na compressão de regiões como perna e evita que as veias se dilatem mais.

5. Dormir de lado:

Se você estiver grávida, dormir de lado ajuda a amenizar a pressão que o útero exerce sobre a veia cava, que irriga os órgão pélvicos.

Além dessas medidas, manter-se saudável e ativa e ter um médico endovascular de confiança pode ajudar a amenizar os sintomas ou até mesmo eliminá-los. Agende uma Consulta e venha nos conhecer, para entender como podemos te ajudar

Cirurgia Vascular e Endovascular
Doutorado e Pós-doutorado USP
MBA - University of Pittsburgh / Katz
Pós-graduação em Liderança - Harvard Medical School

Atendimento

Além do atendimento particular, atendemos aos clientes de Planos de Saúde no formato Credenciado e também de Livre Escolha, que é uma nova forma fácil e prática para você ser atendido sem burocracia. Experimente!
Credenciado
Livre escolha: Fácil e Prático

Consulta Online

Consulta por video-chamada. Saiba como funciona:
Agende um horário pelo site, telefone ou whatsapp e efetue o pagamento da consulta
Na data e horário agendado você receberá o link da Saudevianet via e-mail ou Whatsapp
Ao final do atendimento você receberá via e-mail as prescrições, receitas e atestados
Consulta com direito a retorno online ou presencial no período de 30 dias

Localização

Av. República do Líbano, 314, Jd Paulista - SP

Ver mapa

Rua dona Adma Jafet, 74 - Cj. 64, Bela vista

Entre em contato

(11) 3168-0609 / 3078-1530 / 3078-4476

(11) 98161-4443

Concierge: (11) 91065-1958

Referência no tratamento de doenças vasculares de alta complexidade.

Os Tratamentos

© Grupo Endovascular - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Glogs - Agência Digital