Artigos

Síndrome de May Thurner: Principais sintomas e causas

Síndrome de May Thurner

Varizes e inchaço nas pernas? Pode ser sinal de um problema mais complicado, como a Síndrome de May-Thurner (e Síndrome de Cockett). Conheça essa doença.

As varizes, veias tortuosas e visíveis que surgem, principalmente, na região das pernas são bastante incômodas para as mulheres, seja por uma questão de estética, seja pela sensação de cansaço e peso que são acometidas. Apesar de ter diversas razões para seu surgimento, uma das menos comentadas é a Síndrome de May-Thurner ou a Síndrome de Cockett, que podem levar a casos mais graves e a trombose venosa.

Essa síndrome é caracterizada pela compressão da veia ilíaca, que ocorre por conta de pressão de dois lados, de um, a coluna lombar, de outra, a artéria ilíaca direita. Na síndrome de May-Thurner essa compressão não está associada a trombose prévia, enquanto que na Síndrome de Cockett a trombose é um fator importante.

Geralmente, a Síndrome de May-Thurner acomete majoritariamente mulheres com idades entre 20 e 50 anos, apesar de relativamente rara, a identificação de alguma compressão em exames de tomografia pode chegar a 30%.

O sintoma mais comum da Síndrome de May-Thurner são edema e varizes, mas podem aparecer outros. Saiba quais são e qual a principal causa do surgimento dessa comorbidade.

O que é a Síndrome de May-Thurner e Síndrome de Cockett

Antes de mais nada, é importante entendermos do que se trata essa doença. A Síndrome de May-Thurner, também conhecida como Síndrome de Cockett (nos casos de trombose), é uma variação de anatomia que ocorre no organismo, em que a veia ilíaca esquerda é pressionada e comprimida pela artéria ilíaca direita contra a coluna lombar. Outros pontos de compressão também podem estar presentes.

 Figura 1: Compressão da veia ilíaca esquerda (May-thurner). Arte do Dr. Arthur Curtarelli.              

Figura 1 Compressão da veia ilíaca esquerda May thurner. Arte do Dr

Figura 2: Lesões na parede da veia ilíaca esquerda (May-thurner e Cockett). Arte do Dr. Arthur Curtarelli.

Figura 2 Lesões na parede da veia ilíaca esquerda May thurner e Cockett. Arte do Dr

Essa compressão é responsável por desenvolver lesões no interior dessa veia, tornando-se estreita com o passar do tempo e possibilitando o acúmulo de sangue na região, levando ao surgimento de problemas maiores, como as varizes pélvicas ou nos membros inferiores, edema e feridas na perna esquerda e até mesmo um quadro de trombose.

Imagem1

A Síndrome ganha esse nome por conta das descrições feitas, em 1956, por May e Thurner, dois estudiosos, através de estudos realizados em cadáveres, que perceberam essa variação na anatomia da veia ilíaca esquerda, que devido à compressão, interrompia o fluxo venoso no local. Em 1956, Cockett e Thomas foram os responsáveis por perceber a relação entre a compressão da veia ilíaca esquerda e a trombose, sendo a razão pela qual a síndrome também recebe seus nomes.

Apesar de todos esses estudos, essa síndrome não é tão frequente, sendo a responsável por apenas 2 a 5% dos casos de varizes ou trombose. Entretanto, é importante que o médico especialista esteja atento para realizar os exames adequados a fim de identificar se essas duas síndromes podem estar presentes.

marque sua consulta

Principais sintomas da Síndrome de May-Thurner

A compressão em si não apresenta sintomas físicos, sentidos pelo paciente. Mas ao longo do tempo pode causar o surgimento de sintomas característicos, que não devem ser ignorados.

O sintoma mais comum é o aparecimento de varizes e inchaço na perna esquerda muito maior que na perna direita (a perna esquerda é a mais acometida). Muitas vezes esses pacientes são submetidos a diversos procedimentos cirúrgicos, e as varizes acabam sempre voltando, pois não foi realizada a intervenção da causa básica.

Um outro problema relativamente comum, são as varizes pélvicas, que apresentam sensação de peso nessa região, além de dor durante o ato sexual. O médico experiente consegue suspeitar que o paciente tenha algum desses problemas no exame físico e na conversa com o paciente, e assim seguir a investigação.

Outra doença que pode ser desenvolvida por conta da compressão da veia ilíaca esquerda é a trombose venosa profunda extensa no membro inferior do lado esquerdo. Nessa situação a síndrome ganha o nome de Síndrome de Cockett.

Sintomas mais característicos da Síndrome de May-Thurner

e que não podem ser ignorados são varizes na perna esquerda, edema e sensação de pesar ou latejamento, podendo levar a um quadro de ferida (úlcera varicosa). O que difere a síndrome de demais enfermidades é que esses sintomas são mais presentes no membro inferior esquerdo, devido à compressão ocorrer na veia desse lado do organismo. Principais causas da Síndrome de May-Thurner A Síndrome de May-Thurner, como comentado, é relativamente rara e que frequentemente acomete mulheres, sendo que pacientes do sexo feminino representam uma média de 72% das pessoas diagnosticadas com a doença. Mas homens também devem ser investigados se apresentam sintomas compatíveis. Outra característica que pode representar um fator de risco é a idade, que usualmente surge em pacientes entre 20 e 50 anos.

Importante ressaltar que a veia ilíaca esquerda encontra-se naturalmente entre a veia ilíaca direita e pela coluna lombar, entretanto, essa posição pode levar a compressão da veia ilíaca em uma parcela da população. Não existem fatores de risco claros, mas algumas situações são mais propensas:

  • fatores genéticos;
  • pulsação arterial mais intensa (aneurisma);
  • cirurgia prévia; trombose prévia;
  • múltiplas gravidez.

Para confirmar que o problema se trata de Síndrome de May-Thurner, o diagnóstico é feito inicialmente a partir de exames de ultrassonografia, sendo possível, a partir da confirmação, indicar o melhor tratamento. A Tomografia e a Ressonância são exames importantes para fechar o diagnóstico e programar o tratamento.

Melhores tratamentos

Há dois tipos de abordagens: nos casos em que a compressão não acarreta problemas sérios, é possível conviver com a compressão, sendo necessário apenas realizar exames periódicos para monitoramento, e manejo do risco de trombose. Já nos casos em que os sintomas são mais graves, ou que há outras complicações envolvidas, como a trombose, é importante realizar o tratamento mais adequado para o caso.

A cirurgia endovascular tem sido um dos mais modernos e eficientes tratamentos, no qual é realizada uma pequena punção na virilha ou na perna, pela qual é inserido um cateter que leva à veia ilíaca esquerda um stent, no intuito de corrigir a compressão que ocorre no local. Esse procedimento é chamado de angioplastia com Stent.

Com a modernidade na área endovascular, hoje é possível realizar o procedimento de forma minimamente invasiva, com uma sedação leve e duração breve, por volta de duas horas. Por ser uma técnica que exige menos processos invasivos, a recuperação é rápida e não é necessária uma internação hospitalar prolongada. Apesar de rara, a Síndrome de May-Thurner (e Cockett) pode ser a causa de dores nas pernas, na região da pelve, varizes e até trombose. Por isso, se apresentar algum dos sintomas, agende uma consulta para entender melhor o seu caso.

Cirurgia Vascular e Endovascular
Doutorado e Pós-doutorado USP
MBA - University of Pittsburgh / Katz
Pós-graduação em Liderança - Harvard Medical School

Atendimento

Além do atendimento particular, atendemos aos clientes de Planos de Saúde no formato Credenciado e também de Livre Escolha, que é uma nova forma fácil e prática para você ser atendido sem burocracia. Experimente!
Credenciado
Livre escolha: Fácil e Prático

Consulta Online

Consulta por video-chamada. Saiba como funciona:
Agende um horário pelo site, telefone ou whatsapp e efetue o pagamento da consulta
Na data e horário agendado você receberá o link da Saudevianet via e-mail ou Whatsapp
Ao final do atendimento você receberá via e-mail as prescrições, receitas e atestados
Consulta com direito a retorno online ou presencial no período de 30 dias

Localização

Av. República do Líbano, 314, Jd Paulista - SP

Ver mapa

Rua dona Adma Jafet, 74 - Cj. 64, Bela vista

Entre em contato

(11) 3168-0609 / 3078-1530 / 3078-4476

(11) 98161-4443

Concierge: (11) 91065-1958

Referência no tratamento de doenças vasculares de alta complexidade.

Os Tratamentos

© Grupo Endovascular - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Glogs - Agência Digital